Pages

terça-feira, 18 de junho de 2013

Cor(ação).


Não importa o lugar, dia 25 de um mês bonito do ano que te conheci.
Querido Destinatário,
O propósito desta carta é bem simples. Não há nada do que reclamar, argumentar ou defender. Escrevo no caderno de sempre, sentada no mesmo lugar, sobre um assunto já bem conhecido. Acontece que desde que te conheci, não pude pensar em nada que não fossem seus olhos. Desde então, não consigo tirar sua imagem da minha cabeça e tudo aqui ao meu redor lembra você.
É difícil estar distante. A ansiedade me mata. Cada hora, cada segundo, todo o tempo. Esse relógio que não anda e faz o finito parecer infinito longe de você. Minha vontade é correr até aí e dizer o que sinto. Porque a verdade, querido, é que não escrevo por mim, mas por você, que me fez assim: menina com coração poeta. Sabia que a cada cinco palavras que falo, vinte e sete incluem você?
Quantas vezes eu disse que te amava? Eu escalaria os topos das montanhas, nadaria todo o oceano azul, ultrapassaria todas as linhas e quebraria todas as regras para provar que te amo. Mas, querido, eu só lutaria contra tudo por sua causa. Porque mesmo quando eu estava perdida, você me fez encontrar um caminho. Pois é, parece que fui feita para você.
O problema é que essas três palavras ainda são muito pequenas. Foi quando decidi escrever essa carta. Foi quando separei o amor em centenas de caracteres e os carimbei nessa folha branca. Cada palavra aqui tem o tom da sua voz, aquela melodia única que me faz suspirar. Talvez você não tenha noção do tamanho do sentimento que eu guardo. Pode ser que tenha me faltado clareza. Ou coragem. Espero, sinceramente, que essa carta não fique no fundo de uma gaveta. Por isso, querido, quando terminar de ler, dê aquele sorriso só seu que eu acho tão incrível. E acredite, eu estarei lhe sorrindo de volta.

Com amor,
De alguém que só pensa em você.

1 comentários:

Start;gAme disse...

Love is in the air!!

Oh God, Don't Breath!!! HELP US!!

Just Kidding, Mais um texto perfeito, escreveu pensando em quem?

Postar um comentário